3 de maio de 2017

DECECIONEI-ME COM O JORNALISMO?

(Pronto, decidi sair da dieta de posts)

Olá!

Como já disse algumas vezes no blog, agora estou a viver no Brasil e, aqui, estudo jornalismo. Desde há muitos anos, é este o meu sonho e os meus amigos mais próximos e família sabem disto perfeitamente. 

Quando andava na escola, sempre que os professores perguntavam "Qual é a profissão que queres seguir?", eu era sempre das primeiras a responder, a dizer que queria ser jornalista. Claro que esta não foi a minha primeira opção, mas com o passar do tempo, descobri que era mesmo isto que eu queria.
Ao perguntarem-me "por quê?", sempre dizia que queria seguir este curso porque ele é o sentido da verdade. Eu gosto de pessoas verdadeiras e este aspecto da minha personalidade refletiu-se na minha escolha do que quero fazer para a vida. 

fonte

Ora bem, cá estou eu no segundo ano do curso (são três, ao todo). Se estou dececionada? Senta-te, porque há muito que falar...

Afinal, o jornalismo não é tão verdadeiro quanto imaginei. Pelo pouco que conheço, vejo a cada dia que passa que é um meio de cunhas, um meio hipócrita, onde os espertos sobrevivem. A parte da verdade é apenas na teoria (entre aspas, porque até nisso vejo que não é bem assim). 
Na prática, define-se por informação (seja ela verdadeira, criada, idealizada, whatever).

fonte


Uns sobrevivem por talento, outros por esperteza, e uma meia dúzia opta por juntar o útil ao agradável. Não basta teres talento para algo (principalmente para a televisão), tens de dar graxa a quem manda, tens de fingir ser amigo de todos e, conforme for o teu objetivo, tens de fingir ser alguém que não és.
Literalmente, é uma guerra de egos: muitas estrelas para um espaço só. Uns são sol e brilham como tal, outros são apenas faíscas que tentam a todo o custo incendiar-se. 

"Então, queres dizer que já não queres ser jornalista?" - óbvio que não. Este é o meu sonho e eu ainda acredito num jornalismo (da faculdade ao mercado de trabalho) da verdade. Se manter-me fiel ao que sou, vai me custar algumas oportunidades, ok. Antes prefiro!
Eu sou o tipo de pessoa que valoriza o caráter porque "se nada é tão nosso quanto os nossos sonhos", ter caráter, palavra e posicionamento, não ficam atrás.


Um beijo e sejam sucesso! ♡

Like na página: "A Escrita e Eu" no Facebook
Segue no Instagram: @jhenifferluiz
Segue no Snapchat: jhenifferluiz



14 de março de 2017

SWONKIE, A MELHOR FERRAMENTA PARA BLOGGERS

Com alguma frequência, faço umas pesquisas sobre como posso melhor o blog. Acredito que não devemos ficar no confortável e procurar sempre dicas, sugestões e outras formas para oferecer às minhas leitoras e leitores, o melhor que posso dar de mim, da minha escrita.

No post (aqui) onde escrevi sobre um novo blog, fruto de um projeto da faculdade, recebi um comentário da equipa do Swonkie (ainda hoje me pergunto como eles me encontraram). Nele, estava escrito que me tinham enviado um email e eu, curiosa que sou, fui ver o que era. Tratava-se de um convite para pertencer à plataforma deles.



SWONKIE


Antes de entrar como membro do Swonkie, pesquisei a respeito. Se te estás a perguntar sobre o por quê de ter pesquisado, eu respondo: "gato escaldado tem medo de água fria". Na página do "A Escrita e Eu" no Facebook, falei sobre uma situação complicada que aconteceu entre o blog e uma empresa e, com essa publicação, entenderás melhor o que se passou. É sempre bom saber a respeito de algum site, pessoa ou empresa, antes de fazer uma parceria.

Encontrei alguns blogs de umas meninas que falavam maravilhas da plataforma e, após ler tudo, decidi por experimentar. A primeira coisa que me deixou muito feliz, foi saber que tens funcionários (identificados pelo nome) que estão à tua disposição para tirar quaisquer dúvidas. Não sei se são 24h, mas sempre que perguntava algo (lembrando que foi em horários diferentes), eles respondiam com certa rapidez. São super simpáticos, atenciosos e esclarecedores. Sem dúvidas, isto há de fazer com que te sintas especial e importante para a equipa Swonkie.



SWONKIE

Os posts do blog, em vez de serem escritos no Blogger, são na Swonkie. Todas as ferramentas de alinhar o texto, mudar a cor, incluir arquivos multimídia, tudo isso encontras lá. A vantagem é que eles dão dicas e avaliam o teu post de 0 a 100%, por exemplo: se o teu título ficar grande, eles avaliam em 50% e dão-te dicas como: diminui a quantidade de palavras, usa palavras-chave que sejam fortes, cuidado com essa pontuação, etc. Já no texto em si, além das avaliações, eles sugerem que acrescentes (ou retires) elementos gráficos, dão dicas do tamanho certo para a introdução, da relação e harmonia que deve haver entre texto e imagens, etc.

Pronto, escrevi o texto, fiz as correções, agora tenho que publicar e abrir imensos separadores para publicar em todas as minhas redes sociais. Enganas-te! Outra coisa maravilhosa do Swonkie: ele tem a opção de, na mesma página onde se escreve o post, selecionar várias redes sociais e fazer textos personalizados para cada uma delas, ou seja, assim que o teu post for publicado no blog (sim, há como agendar), ele também será publicado no Facebook, Twitter, Pinterest, LikedIn e outras 4 redes ou perfis sociais. Ao todo, são 7 opções e, em breve, eles também vão incluir o Instagram na lista!



SWONKIE



Depois que descobri o Swonkie, não quero outra coisa! É mais prático, ajuda a melhor a tua maneira de escrever e a dar mais visibilidade ao teu blog, como se fosse um SEO. É, sem dúvidas, o melhor amigo do A Escrita e Eu!
Então e tu, já usas o Swonkie?

17 de janeiro de 2017

Como Tudo Começou - A História do Blog

Olá,
Hoje, conto-te a história do blog e como tudo começou.

A minha vida divide-se entre Governador Valadares (MG, Brasil), onde nasci, e Sesimbra (Portugal), onde cresci. Sinto-me privilegiada por, em 2004 (na altura, tinha 7 anos), ter tido a oportunidade de viver num país tão distinto do meu, numa outra cultura. Sempre agradeço a Deus, à vida, pelas oportunidades que tive e ainda tenho. 

Governardor Valadares, a minha cidade no Brasil; fonte

O blog foi criado em 2011. Desde há muito tempo (para não dizer sempre), sou apaixonada pela escrita, em especial, poemas. Na escola, participava de festivais, recitais de poesia, etc. Alguns amigos e professores, começaram a incentivar-me a publicar aquilo que escrevia (na maioria das vezes, o máximo que fazia era ler para um amigo ou outro) e foi aí que nasceu o "A Escrita e Eu".

Lembro-me perfeitamente de pesquisar "Como criar um blog" no Google. A princípio, apenas os amigos da minha turma leriam (alguns, não todos) e a minha mãe. Por falar em mãe, também me lembro de quando tinha no máximo 20 visualizações por mês e um ou outro comentário anónimo em algum poema. De quem era o comentário anónimo? Da minha mãe. (Amor de mãe tem destas coisas).

Ainda em 2011, não me lembro o motivo concreto, desisti do blog. Uma desistência um bocado cobarde (covarde), porque não cheguei a apagá-lo da internet, apenas deixei de publicar. Passaram-se dois anos quando, uma colega da minha nova turma (Obrigada, Catarina!) insistiu para que voltasse a publicar no blog. Foi então que criei a página no Facebook e ressuscitei o "A Escrita e Eu".

Sesimbra, onde moro em Portugal; fonte

A meio a tantas críticas nada construtivas como "Não vais conseguir!", "Queres é ficar famosa!", entre outras coisas, fui escrevendo os meus poemas e publicava-os à menina que a vergonha deixava. Em relação à página, a cada 10 novos seguidores, escrevia um post de agradecimento. E quando cheguei aos 50 likes? Foi uma grande alegria! Pensava assim: se tenho 5 a querer que eu desista, há 50 que gostam disto que estou a fazer.
À medida que ganhava likes, ia agradecendo. Uma das pessoas que seguiam a página e o blog, mandou-me uma mensagem a dizer que não gostava que eu agradece a cada 10 pessoas novas que surgiam. Foi então que comecei a agradecer a cada 100 novos seguidores.
2015 foi um ano marcante para o "A Escrita e Eu". Nesse ano, decidi que não me limitaria a poemas e quis dar-me a liberdade de escrever sobre tudo o que me apetecesse.

Hoje, sou feliz e grata a todas as pessoas que seguem e gostam do que escrevo, dos posts... Ainda tenho muito que aprender, tenho muito para conquistar. É impossível manter um blog sem que haja alguém desse lado para ler. Não tenho milhares, é verdade! Os que tenho, valem por milhões. E ainda que fossem apenas dois ou três, tudo isto continuaria a valer a pena.

Agora, fala-me de ti. Qual é a história do teu blog?



Um beijo e sejam sucesso! ♡

Like na página: "A Escrita e Eu" no Facebook
Segue no Instagram: @jhenifferluiz
Segue no Snapchat: jhenifferluiz

6 de janeiro de 2017

5 Motivos Para Seguir A Thaynara OG

Olá,
Conheces a Thaynara OG? Ela é a primeira brasileira a ficar famosa pelo Snapchat. Ainda és um seguidor? Então, este post é para ti!



A Thaynara adotou o OG do sobrenome, Oliveira Gomes. Ela tem 24 anos e começou a gravar snaps há 2 anos. Hoje, tem cerca de 700 mil visualizações, 1,6 milhões no Instagram e mais de 300 mil no Facebook.
A Thay é a minha inspiração do Snapchat (eu sei que já disse no meu Snap que a Jude Paulla é que era a minha inspiração, mas as coisas mudaram! Adoro a Jude, mas a Thaynara é a Thaynara...), criatividade pode ser o seu segundo nome! Se ainda não sabes quem é a Thaynara, aqui estão alguns motivos para segui-la: 


  • Criatividade 

A Thay é um poço de criatividade. No seu snapchat, "surra de entretenimento" (como ela diz) é o que não falta. É exatamente a criatividade que fez com que ela usasse o snap de uma maneira diferente, ou seja, criou a sua própria identidade. Para terem a noção, ela usa a voz daquela mulher do Google Translate para ser a voz da Jade, a poodle.

  • Personagens



Um dos motivos pelo snap da Thaynara não ser cansativo, é a quantidade de personagens que existe. Ela é dona de uma cadela chamada Jade (conhecida como "Jade Sinistra") que, devido à idade avançada, bebe alguns medicamentos para o coração e outros problemas. Além da Jade Sinistra, também participam a mamãe OG (mãe da Thaynara), Milena Bastante (amiga), David Rebolativo (amigo e professor de dança) e Lud Luz Própria (Ludmila, a irmã). Quanto ao David não tenho a certeza, mas o nome dos demais foram todos criados pela  Thay.


  • Atenciosa com os fãs
Além de um quadro que grava com alguma frequência, o "Thay Responde", a snapchater é muito atenciosa com os fãs que, carinhosamente, são chamados de Gado. Eu sou a prova disso! 

Quem




  • Bom humor

A Thay chega a ser engraçada mesmo quando está triste. É estranho dizer isso, mas é a verdade. Ela tenta arrancar um sorriso em todas as situações e leva boa energia a quem a segue. Ela mostra que é "gente como a gente" em todas as situações, inclusive, quando conhece algum famoso, manda fotos no grupo da família (para que sintam orgulho, claro!). Uma piada atrás da outra.
  • Dicionário próprio


Quem
fonte


Passo a explicar:

KIU! - É uma exclamação. Na cidade onde mora, é uma espécie de vaia, mas a Thay deu um outro sentido à palavra e agora  é usado para coisas boas
TU NÃO VEM MAIS! - Usado quando a pessoa faz algo de mal. É como uma repreensão, por exemplo: eu chego à casa de uma pessoa e parto um copo. O que Thay diria nesta situação? "Jheniffer, tu não vem mais!" 
TÁ FAMOSINHA... - Usado para dizer que a pessoa está a ficar conhecida
ELEMENTO DA FAMA - Quando acontece algo que ela tem a noção que, se não fosse famosa, não aconteceria, exemplo: se ela for a um restaurante, o dono reconhecê-la e, por isso, não exigir que pague a conta, ela vai dizer que é um elemento da fama (além de divulgar o tal restaurante, claro)
VENCI NA VIDA! - Usado quando acontece algo importante, que ela sempre quis, exemplo: quando conheceu a Britney Spears, ela venceu na vida!
FINGIR COSTUME - Fingir costume é o que precisamos fazer, segundo a Thay, quando estamos em alguma situação que, de todo, não faz parte do nosso cotidiano, da nossa realidade, exemplo: se eu estiver num evento onde também esteja a Beyoncé, eu tenho que fingir costume para não fazer figuras tristes. Fingir costume é agir naturalmente!
#EUFUI #EUTAVA - quando há algum acontecimento importante, exemplo: como ela assistiu à abertura das Olimpíadas, ela #foi #tava   lê-se assim: hashtag eu fui, hashtag eu tava
NÃO SE FAÇA DE DOIDO! - É não se fazer de desentendido
FIZ MEU NOME! - Quando ela faz alguma coisa que vai ser importante para o resto da vida, ou quando alguma empresa que seja muito conhecida e consolidada no mercado a reconhece


Estes foram os meus 5 motivos para seguires a Thaynara no Snap. "Não se façam de doidos" porque garanto-vos que não se vão arrepender. E vocês, já ouviram falar nela?



Um beijo e sejam sucesso! ♡

Like na página: "A Escrita e Eu" no Facebook

Segue no Instagram: @jhenifferluiz
Segue no Snapchat: jhenifferluiz

Thaynara
























4 de janeiro de 2017

Primeiro desabafo de 2017

Olá,

É chato começar o ano com este tipo de assunto, mas decidi falar tudo de uma vez e, assim, poder seguir em frente com o blog e os devidos posts.
Em maio/2016, recebi um email do Sr. Bruno Padilha, gerente de Marketing da empresa Criar IO. Ele apresentou-me uma proposta de parceria entre o Blog "A Escrita e Eu" e a empresa para a qual ele trabalha. Não vi a mensagem a tempo e, por isso, só lhe respondi em julho/2016, dizendo que eu era a única responsável pelo blog e disse que estava aberta a uma conversa sobre o assunto.
Após a troca de algumas mensagens, acordámos de que o "A Escrita e Eu" divulgaria a Criar Cartão no blog e que, a cada novo cliente (ou seja, a cada venda) que a empresa recebesse através do blog, eu ganharia R$ 20 dessa venda. Além disso, assim que eles confirmassem o link, eu receberia R$ 15 de saldo. O pagamento das vendas seria feito através de depósito bancário.
O blog cumpriu a sua parte que era divulgar o banner da empresa. Ainda não tinha dito nada na página porque estava à espera que a Criar Cartão também cumprisse a parte dela que, primeiramente, era apenas confirmar o link do blog, mas nem isso fez.
No penúltimo email que enviei, avisei que, caso não validasse o link, retiraria o banner. A resposta que recebi foi: "Acabei esquecendo de validar o seu cadastro, contudo as suas vendas já estavam sendo contabilizadas. Fiz a validação agora". No entanto, era mentira e o link continuava inválido.
Passaram-se meses e, por não ter outra alternativa, tive que cancelar a parceria por falta de responsabilidade e compromisso da Criar Cartão que, a princípio, dizia-se uma empresa séria, responsável pela boa impressão causada por empresas como TIM, O Boticário, Marisa e SBT. Infelizmente, não corresponde à realidade.

Print do site da empresa



*Escrevi isto na página, mas quis também deixar registrado no blog*






Um beijo e sejam sucesso! 
Like na página: "A Escrita e Eu" no Facebook
Segue no Instagram: @jhenifferluiz
Segue no Snapchat: jhenifferluiz